Letreiro
Em tom de verde e amarelo, Brasília vive dia diferente
mais brasil comunicações > Turismo
Voltar Enviar noticias imprimir
[01/01/2019] Brasília; Brasil recebe mais de 63 mil voos internacionais em 2018; alta de 8%

Pedro Menezes  -  Mercado & Eventos

Foto: Divulgação

Entre as cidades brasileiras que mais receberam voos internacionais no Brasil em 2018, Curitiba (PR) aparece em primeiro lugar da lista

Dados da Análise da Malha Aérea Internacional da Diretoria Competitiva e Promoção Turística da Embratur revelam que 63.788 voos internacionais foram registrados no Brasil em 2018, número que corresponde a 8% em relação ao observado durante todo o ano de 2017. Outro destaque é para o número de voos internacionais para o Brasil nos últimos oito anos: crescimento de 29%, passando de 49.557, em 2010, para 63.788 registrados este ano.

Os dados revelam que todas as regiões do País registraram aumento no número de voos e assentos disponíveis em 2018. No Sul, o crescimento foi de 36% de frequências e 32% de vagas; no Nordeste, foi de 20% de voos e 18% nos assentos; no Norte, são 1.430 voos diretos, 13% a mais quando comparado ao mesmo período de 2017, e houve, também, um aumento de quase 18% de vagas de assentos. No Sudeste, que concentra a maioria dos desembarques internacionais, houve estagnação em relação aos meses de dezembro de 2018 e de 2017.

Entre as cidades brasileiras que mais receberam voos internacionais no Brasil em 2018, Curitiba (PR) aparece em primeiro lugar da lista, com registro de crescimento de 61%. Em âmbito regional, o Sul registrou o maior crescimento mensal com 71 voos internacionais registrados a mais do que reportado em dezembro de 2017.

A segunda maior variação positiva foi observada no Nordeste, que recebeu 323 frequências, 10,62% acima do anotado em igual período do ano passado. Já no aeroporto de Brasília, único do Centro-Oeste que recebe voos internacionais e funciona como hub da região, houve um crescimento de 33% de frequências semanais e 27% de aumento no número de assentos.

Para a presidente da Embratur, Teté Bezerra, as medidas adotadas pelo governo brasileiro no setor aéreo, como a ampliação da participação estrangeira nas empresas aéreas nacionais, representam um avanço para o turismo e, principalmente, para o desenvolvimento econômico brasileiro. “O turismo é uma atividade com forte viés econômico. O aumento expressivo da conectividade aérea é um dos principais fatores de crescimento no número de turistas internacionais no Brasil. Com mais opções de voos e criação de novas rotas mais estrangeiros virão ao País movimentar nossa economia e, consequentemente, geração de emprego e renda”, destaca.

O estudo do instituto é preparado mensalmente a partir de informações fornecidas pela própria Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e companhias aéreas.

 

 

Fotos da notcia

Clique sobre a foto para ampliar
Notcias relacionada